Adotar uma estratégia na nuvem nos próximos anos deve ser uma prioridade para empresas que buscam ampliar sua competitividade. O Gartner prevê que até 2020, a nuvem será a primeira opção para implantação de softwares. Na verdade, ter uma política "não-cloud" será tão raro quanto ter uma política de "não à internet". Migrar para a nuvem pode oferecer tanto vantagens competitivas quanto benefícios cruciais para negócios digitais.

Vantagens da Implementação na Nuvem Pública

Entre os diferentes tipos de implementação (on-premise, managed hosting, nuvem privada, etc), a opção pela nuvem pública pode ser valiosa para empresas devido a:

1. Redução dos Custos: fazer o deploy de uma solução na nuvem pública reduz os custos de infraestrutura assim como gastos com TI e manutenção. Quando consideradas as despesas com hardware, a exemplo de contas de energia e atualizações, uma solução na nuvem entrega valor mais rápido e com menos custos associados. De acordo com uma recente pesquisa da TechTarget, mais de 31% dos respondentes consideram a redução dos custos de infraestrutura a principal razão para uso da nuvem pública.

2. Maior Flexibilidade: soluções na nuvem são melhores para atender as demandas de seu negócio. Quando crescimento e sazonalidade mudam as necessidades do seu negócio, a flexibilidade da nuvem permite que você reaja conforme as mudanças - resultando em respostas mais precisas e melhor experiência do cliente.

3. Menor Time to Market: a implementação é facilitada com a infraestrutura da nuvem pública. Desde o início, desenvolvedores possuem tudo que necessitam - de infraestrutura a ambientes - reduzindo o time to market e permitindo que seu negócio seja mais ágil.

4. Facilidade de Uso: em geral, soluções na nuvem simplificam a gestão de infraestrutura. Times de TI não precisam mais manter servidores físicos e podem usar interfaces convenientes para configuração e monitoramento facilitados.

Leia mais sobre os principais benefícios da implementação na nuvem aqui.

Comparando a Implementação na Nuvem e On-Premise

Mesmo com os benefícios, determinar se a migração para a nuvem é viável exige uma análise robusta de dados.

Para determinar qual método de implementação utilizar, compare o custo total de propriedade (TCO) de uma nuvem versus de um sistema de aplicação on-premise. Veja aqui alguns custos para considerar na implantação e gerenciamento de um sistema on-premise:

1. Custos Iniciais: o investimento que a empresa espera pagar antes de lançar um novo sistema de aplicação inclui as fases de design, construção e implementação. Exemplos de despesas iniciais incluem hardware, equipamentos de rede e custos de armazenamento.

2. Custos Recorrentes: os custos iniciais são apenas uma parte dos custos totais e das despesas operacionais que suportam a aplicação da empresa. Custos de manutenção frequente e upgrade devem ser considerados como despesas recorrentes da infraestrutura on-premise. É importante lembrar que hardware e software sofrem depreciação com o tempo, tendo em média de três a cinco anos de vida útil antes de demandarem uma atualização.

3. Intangíveis: há custos intangíveis que precisam ser considerados tais como segurança, escalada de mais máquinas, custo de oportunidade, entre outros.

Em comparação, aqui estão os custos que devem ser considerados para implementação na nuvem:

1. Custos Iniciais: apesar de necessitar de um investimento inicial menor, aplicações na nuvem demandam pagamentos regulares de taxas de subscrição.

2. Custos Recorrentes: para usar a nuvem, empresas precisam investir em times de TI altamente qualificados. O custo dos treinamentos é constante à medida que aplicações na nuvem se aprimoram e se adaptam às novas necessidades dos negócios. Custos de consultoria podem também ser incluídos, se necessário.

3. Intangíveis: custos intangíveis da nuvem incluem o tempo de inatividade, que pode impactar na produtividade do trabalho, receita e reputação da empresa. Além disso, tempo e esforço necessários para remediação e atendimento de SLAs também impactam nos custos. Para reduzi-los, provedores de nuvem precisam impor políticas de tempo de atividade (uptime) e alta disponibilidade.

Confira aqui a lista completa de fatores fundamentais para o cálculo do TCO de soluções on-premise ou na nuvem.

Migrando para a Nuvem

Analisando a relação custo-benefício fica evidente que a migração para a nuvem é uma escolha melhor do que soluções on-premise. A flexibilidade, confiabilidade e economia geradas fazem da nuvem uma solução estratégica de longo prazo para seu negócio. De acordo com a Forrester, "a nuvem é tanto uma opção viável para uma gama maior de aplicações empresariais como também o método preferido para ganhar vantagem competitiva na era do cliente".

Acelere a inovação e libere seus recursos ao mudar o foco da gestão da infraestrutura para suas principais competências usando serviços na nuvem.

Conheça como o Liferay DXP Cloud se encaixa na sua necessidade

Tomar a decisão de migrar para a nuvem é o primeiro passo, agora é hora de decidir qual solução usar. Confira a mais nova forma de implementar e gerenciar o Liferay DXP com segurança, agilidade e confiabilidade.

Descubra mais benefícios do Liferay DXP Cloud
Comentários