Se no universo front-end cada semana pode trazer novidades que são rapidamente adotadas pelo mercado, o desenvolvedor da área precisa estar preparado para se adaptar de forma ágil e com precisão.

O engenheiro de software da Liferay, Clovis Neto, apontou algumas das principais tendências com as quais todo profissional da área vai se deparar em 2019, desde aspectos comportamentais até formas mais integradas de atuação.

Confira as cinco estratégias para acompanhar a velocidade do mundo front-end em 2019:

1. Aprenda a Aprender

"É cada vez maior a necessidade do desenvolvedor front-end se atualizar. Toda semana você pode se deparar com um framework diferente e é fundamental saber como agir nestas situações", afirma Clóvis.

Para isso, o front-end deve ir além de dominar com propriedade as linguagens fundamentais CSS, HTML e JavaScript. Ele deve saber como aprender da forma mais ágil possível quando estiver em contato com alguma novidade. Para isso, a chave é compreender amplamente os processos de documentação e estar acostumado com mudanças constantes, que causam impacto na sua estratégia front-end.

2. A Componentização Continuará a Crescer

A tendência da componentização estará cada vez mais forte em 2019, principalmente pelos ganhos expressivos de eficiência que traz para os projetos, destacou Clóvis. Os web components, que podem ser usados em qualquer aplicação web, também continuarão a ser explorados pelo mercado.

"Criar a página com seus componentes, permitindo que possam ser reaproveitados é como criar uma peça de bloco de montar que se encaixa em diversos outros. A reutilização do código permite uma construção mais ágil", ressalta. 

3. Olho nas Interfaces não Convencionais

Bots estarão cada vez mais presentes nas estratégias. No lugar de páginas, a tendência é que em breve, "os engenheiros front end não estarão desenvolvendo para a interface e sim para o usuário", complementa o engenheiro da Liferay. As aplicações serão cada vez mais pessoais e personalizadas, e ficar atento a aprendizagem desta tendência permitirá ao profissionais estarem mais preparados. 

4. Comunicação é Chave

Os dilemas na colaboração entre front e back-end serão sempre um desafio expressivo. Proatividade, abertura para comunicação, e compreender como cada um pode contribuir para o projeto continuam a ser competências chave para o desenvolvedor front-end. Mesmo com frameworks como GraphQL , que, por oferecer uma visão detalhada dos serviços de backend disponíveis, ajudam na comunicação, o alinhamento continua sendo necessário para a entrega final ao cliente. 

5. Invista em Entender Mais de UX

Construir uma boa interface para o usuário final exige conhecer detalhadamente qual o seu comportamento. Ter uma visão bem definida disso e estar alinhado com o time de design são pontos primordiais dentro de uma estratégia front-end. "O front-end deve sempre estar presente nas reuniões de sync up para entender e contribuir com o trabalho dos designers", destaca o engenheiro da Liferay.

Nesse contexto, investir em conhecimento de User Experience (UX) trará resultados mais efetivos em 2019. Em alguns casos o designer vai estabelecer funcionalidades que podem ter usabilidade potencializada se o front-end também compreender como processar a melhor experiência. 

Saiba mais sobre a Interação com os Clientes nas Plataformas de Experiência Digital

A interação com os clientes em dispositivos móveis, websites, call centers, portais de clientes e outros pontos de contato demanda dos desenvolvedores front-end atualização constante, acompanhamento das principais tendências de mercado, habilidades de comunicação e entendimento sobre experiência do usuário (UX). As Plataformas de Experiência Digital (DXPs) são a melhor forma de acompanhar as interações dos clientes nestes diversos pontos, identificando oportunidades para otimizar estes canais, tornando-os mais fáceis de usar e valiosos para eles.

Leia nosso Whitepaper Plataformas de Experiências Digitais  

Comentários